Русский English 中国 Português 日本語 Indonesia

Kerberos (décima primeira façanha)

Assim que Hércules retornou a Tiryns, ele novamente o enviou em um feito Eurysfeyo >. Esta já era a décima primeira façanha que Hércules realizaria a serviço de Euristeu. Hércules teve que superar dificuldades incríveis durante essa façanha. Ele deveria descer ao sombrio, cheio de horrores do submundo Aida e trazer para Eurystheus o guardião do submundo, o terrível cão infernal Kerbera. Kerberos tinha três cabeças, cobras se contorciam ao redor de seu pescoço, sua cauda terminava na cabeça de um dragão com uma boca enorme. Hércules viajou para Laconia e atravessou o abismo escuro em Tenar desceu às trevas do submundo Nos próprios portões do reino de Hades, Hércules viu os heróis Teseu e Perifhoe, rei da Tessália. Os deuses os puniram assim porque queriam roubar sua esposa Persefona do Hades. Teseu orou a Hércules:

- Oh, grande filho de Zeus, liberta-me! Você vê meu sofrimento! Só você pode me salvar deles!

Hércules estendeu a mão para Teseu e o libertou. Quando ele quis libertar Perifoy também, a terra tremeu, e Hércules percebeu que os deuses não queriam sua libertação. Hércules submeteu-se à vontade dos deuses e entrou na escuridão da noite eterna. O arauto dos deuses Hermes, o condutor das almas dos mortos, entrou no submundo de Hércules, e a filha amada foi a companheira do grande herói Zeus, Athena-Pallas. Quando Hércules entrou no reino de Hades, as sombras dos mortos se espalharam de horror. Apenas a sombra do herói Meleagra não fugiu ao ver Hércules. Ela rezou para o grande filho de Zeus:

- Oh, grande Hércules, peço-te uma coisa em memória da nossa amizade, tenha pena da minha irmã órfã, a bela Deyanira! Ela permaneceu indefesa após a minha morte. Tome-a como sua esposa, grande herói! Seja seu protetor!

Hércules prometeu atender ao pedido do amigo e passou a seguir Hermes. A sombra da terrível górgona Medusa subiu em direção a Hércules, ela estendeu ameaçadoramente suas mãos de cobre e acenou suas asas douradas, cobras se agitaram em sua cabeça. O herói destemido agarrou a espada, mas Hermes o deteve com as palavras:

- Não pegue sua espada, Hércules! Afinal, é apenas uma sombra etérea! Ela não o ameaça de morte!

Hércules viu muitos horrores em seu caminho; finalmente, ele apareceu diante do trono de Hades. O governante do reino dos mortos e sua esposa Perséfone olhavam com alegria para o grande filho do Trovão Zeus, que destemidamente desceu ao reino das trevas e da tristeza. Ele, majestoso, calmo, estava diante do trono de Hades, apoiado em sua enorme maça, em pele de leão sobre os ombros, e com um arco sobre os ombros. Hades saudou graciosamente o filho de seu grande irmão Zeus e perguntou o que o fez deixar a luz do sol e descer ao reino das trevas. Curvando-se diante de Hades, Hércules respondeu:

- Oh, o governante das almas dos mortos, o grande Hades, não fique zangado comigo por meu pedido, todo-poderoso! Você sabe, afinal, que não foi por minha própria vontade que eu vim para o seu reino, que não foi por minha própria vontade que eu lhe pediria. Deixe-me, Lorde Hades, levar seu cão de três cabeças Kerberos para Micenas. Eurystheus ordenou que eu fizesse isso, a quem eu sirvo a mando dos brilhantes deuses do Olimpo.

Hades respondeu ao herói:

- Cumprirei, filho de Zeus, seu pedido; mas você deve domar Cerberus sem armas. Se você domá-lo, deixarei que você o leve a Euristeu.

Hercules Cerberus procurou por um longo tempo no submundo. Finalmente, ele o encontrou nas margens do Acheron. Hércules envolveu seus braços, fortes como aço, ao redor do pescoço de Cérbero. A cadela Aida uivou ameaçadoramente; todo o submundo estava cheio de seu uivo. Ele lutou para escapar dos braços de Hércules, mas apenas as mãos poderosas do herói apertaram o pescoço de Kerberos com mais força. Kerber enrolou o rabo nas pernas do herói, a cabeça do dragão cravou os dentes em seu corpo, mas tudo em vão. O poderoso Hércules apertou seu pescoço cada vez mais forte. Finalmente, a cadela meio estrangulada Aida caiu aos pés do herói. Hércules o domou e o levou do reino das trevas para Micenas. Assustado pela luz do dia Kerberos; ele estava coberto de suor frio, espuma venenosa pingava de suas três bocas no chão; onde quer que uma gota de espuma pingasse, ervas venenosas cresciam.

Heracles trouxe Cerberus para as muralhas de Micenas. O covarde Eurystheus ficou horrorizado com um olhar para o cão terrível. Quase de joelhos, ele implorou a Hércules que o levasse de volta ao reino de Hades Kerberos. Hércules atendeu ao seu pedido e devolveu Hades ao seu terrível guarda Kerberos.